Telemedicina na pandemia do Covid-19


Ainda enfrentando os desafios da pandemia do Coronavírus, vemos empresas adotando o formato Home Office, pausando comércio e outras atividades suspensas para contribuir para o processo de quarentena, por enquanto, a melhor forma de prevenção contra a doença.

Nessa situação, os médicos não podem parar seu trabalho, até porque, além do vírus, as pessoas possuem outros problemas de saúde e necessidades médicas frequentes. Para isso, foi autorizado pelo CRM a Telemedicina.

Neste cenário de distanciamento, é imprescindível que façamos o melhor uso possível da tecnologia em saúde para os médicos se conectarem com seus pacientes. A telemedicina pode ser uma grande aliada, tanto no acompanhamento de pacientes em fase de quarentena, quanto na triagem de novos casos para definir quais aqueles que têm verdadeiros sinais de alerta, e que devem comparecer a uma unidade hospitalar.

Outro grande benefício que a tecnologia pode nos proporcionar é a educação à distância para a população. Este vem sendo amplamente explorado pelos portais de saúde e pelas redes sociais, onde sociedades médicas e médicos de referência no país divulgam textos e vídeos educativos para a população, orientando sobre a doença e comportamentos que devem ser estimulados ou desencorajados.

Em nota divulgada no dia 13 de Março, a Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS) se posicionou alegando que a aplicação da telemedicina, por meio da teletriagem, teleconsulta, teleinterconsulta, telediagnóstico e telemonitoramento, contribui de forma significativa para a realização da assistência médica sem a exposição de todos os envolvidos ao risco de contágio, como o paciente, os profissionais de saúde que o atendem, os demais profissionais da unidade visitada e os demais pacientes presentes no estabelecimento.

Fonte: Saúde Business